sexta-feira, 24 de julho de 2020

O Regime de Metas de Inflação: Algumas divagações

As minha ultimas postagens foram bem técnicas e frias, bem diferente do que normalmente posto aqui, em que não tenho medo para falar sobre o que penso.

E ultimamente tenho pensado muito sobre o que vai acontecer depois que os mercados reabrirem e todo voltar ao "normal" . Vou voltar para o escritório? Vai existir escritório? Pra que serve um escritório mesmo? Poxa, e o flanelinha que eu ajudava todo final de mês? 

lugares onde antes eram cheios, agora vazios.

Eu não me lembro muito bem da pandemia de 2009, na minha memoria tinha durado algumas semanas, mas pesquisando no google vi que durou mais de um ano? É isso mesmo? Mas eu não vou entrar a fundo no assunto, não tenho conhecimento e de memoria eu na época simplesmente não me importava, até mesmo pq a vida seguiu normalmente.

Um cheirinho porquinho


Tento adivinhar quais fatores  irão jogar o IPCA lá pra cima, é pra isso que devemos nos preparar, focar no pós-pandemia tentar prever a destruição e recriação criativa do capitalismo agindo bem diante dos nossos olhos ou ainda, será mesmo que vai ter uma mudança organizacional grande ou  continuará tudo igual a antes?    
Bem, eu não sei, só sei que continuo estudando para concursos e to aproveitando para dar um gás na faculdade para termina-la o quanto antes, quanto a minha meta de blog de manter o podcast ativo e estudar para certificações se foram por ora.

Quanto à noticias, a unica que importa é a que ainda não saiu, a da vacina. De resto é mais do mesmo, milhares de novos casos, famoso tal está com covid, o Bolsonaro soltou um pum, etc. 

Vou colocar aqui o que acho que vai acontecer com a inflação e com alguns fatores quando a covid passar:
Vidente do Vikings, só pra lembrar que tenho 0 compromisso em acertar. Então quando eu errar não me cobra cara.

-Produtos importados: No momento deve estar sendo ruim pra um empresario, o consumo, principalmente de supérfluos está baixo, e o dólar nem preciso falar, então com a demanda  baixa você não pode repassar o cambio para o consumidor, ao menos que  não queira vender mesmo. Quando o medo passar, e entrar a euforia as pessoas irão querem consumir, para se sentirem bem, nesse momento a coisa fica boa para o empresario, ele vai lucrar muito, aquele notebook que preciso comprar vai ficar bem mais caro e eu vou me ferrar.

Irá exercer uma pressão inflacionária, baseado na desvalorização cambial (a desvalorização cambial tem um efeito cascata na economia, exercendo pressão não só nos importados, mas em toda a cadeia).  

-Crescimento do custo médio das empresas:  As empresas estão trabalhando com uma capacidade ociosa muito grande, o que acarreta num aumento do custo médio, então no momento que a economia entrar em expansão os empresários irão repassar esse cm para os preços.

-As próprias politicas expansionistas da demanda agregada: corte de juros, injeções de liquidez e aumento nos gastos do governo, medidas necessárias para combater o bust, irão agir em combinação com as pressões de custo das empresas sendo fatores chaves para o aumento da inflação.



3 comentários:

  1. O problema é que a recuperação da economia tende a ser longa, acredito que é pouco provável um grande choque inflacionário, claro deve ter um aumento da inflação para níveis superiores a esses 1,5%-1,8% projetados para esse ano, mas muitos dos setores que devem ser vão ser mais expostos a inflação tem um peso pequeno no indice.

    Acredito que sua análise está corretíssima sobre os produtos importados, eles vão disparar no pós-pandemia.

    Abraços,
    Pi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido, a recuperação pode demorar mesmo, mas estou pensando num efeito semelhante a um pós guerra de euforia, mas claro que a burocracia brasileira pode atrapalhar as empresas, enfim só esperar pra ver.

      Abraço

      Excluir
  2. Faz sentido o que você postou. Mas acho que no Brasil eles não vão elevar a inflação, pelo menos não até a eleição de presidente. E Com essa onda de home office fico pensando: "Se essa moda pegar tem muito fundo imobiliário que vai ter dificuldade".

    ResponderExcluir